Governo destrói duas Igrejas, no norte do Sudão

 

 

 

Em 18 de junho, a Igreja Paroquial de São João, em Cartum, foi demolida por volta das 11 horas, sem qualquer aviso prévio, por parte das autoridades locais ou do Ministério do Planejamento e Habitação. O templo da igreja era demolido, enquanto os cristãos observavam impotentes. Uma Igreja Católica na mesma região também foi demolida.

 

 

 

A Igreja Paroquial de São João, uma das primeiras daquela região, existe desde 1987. Após alguns anos de pesquisa, o governo cedeu terras à população, mas à igreja nada foi concedido. A Igreja fez vários pedidos nesse sentido, mas não foi atendida. No entanto, os cristãos, através de seus próprios esforços levantaram dinheiro e construiram a igreja com chapas de ferro.

Duas meninas e um garoto foram presos porque tiravam fotos da igreja enquanto os tratores a demoliam. Mas, foram liberados no mesmo dia.

De acordo com uma fonte da Portas Abertas, as igrejas foram demolidas porque eram compostas basicamente de sulistas e já que eles foram expulsos do Sudão, as igrejas não eram mais necessárias.

“É evidente que as autoridades não respeitam os direitos dos não-muçulmanos no Sudão, eles deveriam ter dado uma alternativa à Igreja, caso o terreno fosse doado a alguém ou usado para alguma outra finalidade”.

“Outra coisa, a igreja não faz parte do Sudão do Sul. É uma Igreja Episcopal do Sudão, cujo Bispo é um sudanês (nortista)! Está cada vez mais claro que a política de um Estado islâmico está sendo implementada. O presidente já havia dito que, se o Sul do Sudão votasse pela separação, haveria, no norte, apenas uma religião, o Islã; uma língua, o árabe; e uma cultura, a árabe”, afirmou o Rev. Ezequiel Kondo, Bispo de Cartum.

“Eu protesto ardentemente contra a ação injusta tomada pelo governo local de El Shereq, e peço a devida indenização às igrejas destruídas. Eu também peço ao governo do Sudão que devolva um pedaço de terra a esta igreja, de modo que, os cristãos desta região tenham um lugar para se reunir”.

Crise Econômica

No dia 19 de junho, a polícia teve que usar cassetetes e gás lacrimogêneo para dispersar mais de 200 manifestantes em Omdurman que gritavam slogans anti-governamentais, como: “Liberdade, liberdade! Queremos mudar este regime”.

Em Kosti a polícia também usou força excessiva contra manifestantes que se dirigiam em direção à Praça da Liberdade.

Segundo a agência de notícias, Reuters, forças de segurança sudanesas entraram em confronto com manifestantes anti-governo, na sexta-feira (22), em Cartum. As manifestações se espalharam por vários bairros, geralmente pacíficos, quando centenas de sudaneses saíram às ruas, após as orações de sexta, para protestar contra o novo plano de austeridade.

Os protestos começaram depois que o governo anunciou medidas severas que aumentam significativamente o custo de vida no país.

O governo do Sudão passa por uma crise econômica causada, principalmente, pela lacuna deixada em seu orçamento, depois que o Sul se separou do restante do país e formou o Sudão do Sul. Em janeiro, o Sudão do Sul interrompeu a produção e exportação de petróleo no lado norte do país (Sudão), causando grandes perdas à indústria petrolífera do norte que exportavam o petróleo do sul a outras regiões.

Estas medidas tomadas pelo presidente Bashir, para conter a crise, inflamaram a população de baixa renda, e eles sairam às ruas para protestar.

Essa crise econômica afeta não só as relações diplomáticas entre o norte e o sul do país, mas tambem a coexistência pacífica entre cristãos e muçulmanos e entre os diversos grupos étnicos existentes ali.

 

Fonte: Portas Abertas http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/06/1614073/

Tradução: Marcelo Peixoto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s