Político de Zanzibar culpa os cristãos por perda das eleições

 

No dia 26 de abril de 2012, Zanzibar se juntou ao restante do país para comemorar 48 anos, desde que o continente Tanganyika e as ilhas de Unguja e Pemba se uniram e passaram a se chamar República Unida da Tanzânia

 

 

 

No entanto, esta união territorial tem sido amençada pelas crescentes tensões dos últimos anos, nas quais,  os cidadãos de Zanzibar têm manifestado o desejo de se separarem da Tanzânia. Várias são as razões para isso, tais como fatores econômicos e religiosos. Debates sobre os prós e contras, de ser parte da Tanzânia, têm sido mais constantes ultimamente.

Outra questão muito abordada, nos debates de secessão, é o aumento do fundamentalismo islâmico, já que, radicais e simpatizantes, têm ganho mais e mais espaço na ilha. Suspeita-se que os sunitas do Hizb ut-Tahrir (Partido da Libertação) e a UAMSHO (Organização de Propagação Islâmica) têm adquirido popularidade entre os muçulmanos da ilha, desde 2006. Os relatos sobre o aumento da queima de igrejas e da perseguição dos cristãos, por muçulmanos radicais, têm acontecido com frequência.

Enquanto isso, os cristãos ficaram alarmados, quando o porta-voz do partido político Frente Unida Civil (CUF), Ismail Jussa Ladhu, os culpou pela perda de seu partido nas eleições, em fevereiro de 2012.

Quando entrevistado por uma estação de TV, logo após as eleições, Ismail afirmou que seu partido CUF não sagrou-se vencedor, porque há “mais cristãos e igrejas na região do que  muçulmanos e mesquitas”. Suas declarações causaram um amplo debate; os críticos afirmaram que, dessa maneira, o partido de Ismail, parecia se curvar ao fundamentalismo islâmico.

Como salvaguarda contra as políticas de divisão, o Ato de Registro de Política de 1992, que se aplica ao continente, afirma que nenhum partido político pode se beneficiar de um registro provisório, pois a constituição visa defender ou promover os interesses de qualquer crença religiosa, grupo tribal, étnico ou racial, ou mesmo uma área específica dentro de qualquer parte da República Unida.

Apesar de ter uma população 97% muçulmana e semi-autônoma, Zanzibar é um Estado secular com liberdade de culto e adoração, constitucionalmente, garantida. Isso pode mudar, se os grupos separatistas forem, eventualmente, bem sucedidos.

Pedidos de oração

• Ore pelos cristãos das ilhas de Zanzibar, Unguja e Pemba. É muito provável que eles tenham que enfrentar tempos turbulentos no futuro.

• Ore pela unidade da liderança da igreja e dos cristãos das ilhas.

• Ore para que o Senhor mantenha o país unido e conceda sabedoria aos seus líderes, com soluções para os problemas sócio/econômicos, não dando espaço para o fundamentalismo religioso.

• Além disso, ore para que Deus preserve a vida dos cristãos secretos das ilhas,  e que mais pessoas se entreguem a Cristo.

 

Fonte: Portas Abertas http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/05/1562867/

Tradução: Marcelo Peixoto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s