Clérigos muçulmanos exigem que as igrejas sejam destruidas em Zanzibar

 

 

 

Os Clérigos muçulmanos de Zanzibar* tem reclamando nos últimos meses que suas comunidades precisam se ver livres das igrejas. De janeiro para cá as tensões aumentaram

 

 

 

Numa atitude deliberada, os líderes islâmicos do país tem incitado todos os muçulmanos a ficarem atentos ao crecimento Igreja local de modo que possa impedi-lo, há boatos de que tem circulado uma lista de igrejas pentecostais que devem ser eliminadas.

De acordo com uma fonte confiável da região, há rumores de que, a Igreja Pentecostal de Kariokor é o próximo alvo da lista. Os principais alvos são as igrejas pentecostais sob a alegação de que elas tem “perturbado a paz” por pregarem e cultuarem em alta voz.

Em 31 de março, a Comissão Distrital (DC) da região levou uma carta de advertencia à Igreja de Deus em Mbweni, para que a igreja não mais cultue a Deus em seu templo. O documento alegava que o templo era na verdade uma casa, portanto, terminantemente proibido de ser usada para culto.

Outro incidente foi relatado por uma testemunha à Portas Abertas, cujo nome não pode ser revelado por questões de segurança. “Na mesma noite, por volta das 2:00 da manhã, cerca de 20 jovens foram à Igreja de Deus em Kianga , perto da Cidade de Zanzibar (capital do país) e demoliram o prédio da Igreja. Após identificarem duas casas de famílias cristãs, eles alertarams para que ninguem  saissem  das casas para impedir a demolição da ireja”. Concluiram os membros da Igreja, assustados.

Após a carta de advertência, a Igreja de Mbweni cancelou suas atividades do domingo seguinte.

Entretanto, os cristãos escreveram uma carta de reclamação que foi enviada para a Comissão Distrital, para outras autoridades da região, e para o Gabinete Presidencial. A carta, explicava às autoridades que o edifício em questão era de fato uma Igreja, e não uma residência, como afirmava no documento dA (DC).

De acordo com a fonte da Portas Abertas, a Igreja continuou utilizando o edifício para cultos nos domingos seguintes. Mas enquanto cultuavam a Deus no último domingo, 15 de abril, funcionários do governo, retornaram  a Igreja outra vez e perguntaram por que eles continuavam  com os cultos memso com a proibição.

Os líderes da Igreja explicaram que haviam escrito uma carta para o (DC) esclarecendo a situação, informando que a casa em questão é na verdade uma Igreja, e não uma residencia, que portanto eles deviam ser autorizados a continuar com os cultos. Os funcionários do governos não foram convencidos e deixaram claro que eles terião que enfrentar as consequências se continuaram cultuando lá.

Líderes de várias denominações de Zanzibar convocaram uma entrevista coletiva em 03 de abril de 2012 para se queixar do assédio que tem sofrido e para pedir proteção do governo. Exceto por duas radios, Bomba FM e TBC 1, nenhuma outra divulgou qualquer noticia ou informação relativa à coletiva de imprensa.

Quando, posteriormente questionado sobre se havia conflitos entre cristãos e muçulmanos em Zanzibar o porta-voz da polícia local negou. O oficial lamentou a demolição da igreja em Kianga sendo realizados naquele edificio Casa Igreja ações que ser demolido, mas afirmou que os cristãos não tinham permissão para cultuar em construções residenciais e ratificou que as ações ali são ilegais.

Menos de 1% da população de Zanzibar é cristão. Estima-se que existam hoje 60 igrejas protestantes em todo o país, de acordo com a organização Operation World.

*Zanzibar é o nome dado ao conjunto de duas ilhas do Arquipélago de Zanzibar, ao largo da costa da Tanzânia, na margem leste-africana, onde formam um estado semi-autônomo.

 

Fonte: Portas Abertas http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/04/1520346/

Tradução: Marcelo Peixoto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s