Informações sobre execução de pastor não são confirmadas

 

 

 

Os advogados do pastor iraniano que aguarda a decisão final sobre sua sentença de morte ainda não receberam uma confirmação oficial das autoridades de que seu cliente será executado, apesar de todas as informações de que sua morte é iminente

 

 

 

  Rumores de uma execução iminente para o pastor Yousef Nadarkhani vazaram esta semana depois que uma fonte próxima aos advogados do pastor contatou a mídia internacional, informando que o tribunal havia assinado os papeis para a execução de Nadarkhani.

“O advogado ainda está aguardando a confirmação, mas ele soube que a execução já havia sido anunciada”, afirma Firouz Khandjani, membro do Conselho da Igreja do Irã, denominação à qual Yousef pertence. “Agora, estamos tentando entender exatamente o que aconteceu, porque as informações vieram de uma fonte confiável”.

O caso de Nadarkhani foi transferido recentemente para o líder supremo Aiatolá Khamenei, para que ele tomasse a decisão sobre a sentença de morte, mas legalmente o tribunal ainda tem a autoridade de emitir a ordem de execução, afirma Khandjani. Khamenei pode ou não tomar a decisão, e se o tribunal emitir a ordem de execução, o aiatolá teria a autoridade de anulá-la.

Apesar de os advogados de Nadarkhani não terem recebido a confirmação por escrito, Khandjani afirma estar preocupado, pois o governo desconsidera suas próprias leis e processos legais ao tratar os cristãos. Diversos prisioneiros já foram executados sem aviso.

Nadarkhani falou com sua esposa por telefone no dia 22 de fevereiro, e o Centro Americano da Lei e Justiça (veja link) afirma que ele ainda está vivo.

“Temos que continuar orando e falando sobre a situação dos cristãos no Irã, porque é um momento de tensão para o povo”.  Os cristãos no Irã são repetidamente presos e interrogados. O caso de Nadarkhani não é algo fora do comum no país.

 

Fonte: Compass Direct / Portas Abertas

http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/02/1422103/

Tradução: Deborah Stafussi

Templo de igreja explode após ataque de homens-bomba

 

 

 

Uma menina é morta e mais de 30 cristãos ficam feridos após explosão em templo provocada por homens-bomba

 

 

 

  Dois homens-bomba do partido Boko Haram dirigiram um carro contra o templo da Igreja de Cristo na Nigéria (COCIN) na manhã de domingo, 26 de fevereiro. Uma menina cristã foi morta e dezenas de cristãos ficaram feridos.

Um homem que alegava ser o porta-voz do Boko Haram assumiu a responsabilidade pela explosão. Os suicidas invadiram o portão da igreja às 7h20, afirma o líder da congregação.

“Quando a explosão passou, vi o corpo de uma menina e quatro pessoas feridas”, conta Yakubu Dutse, diretor financeiro da rede de igrejas COCIN. Dutse afirma que ambos os criminosos foram mortos.

Um dos membros da congregação correu para a cena do crime logo após a explosão; ele disse que viu cinco corpos, e que mais de 35 pessoas ficaram feridas.

A igreja COCIN realiza dois cultos aos domingos, um às 7h e outro às 10h. A segunda reunião foi cancelada, como também aconteceu na maior parte das igrejas em Jos.

O carro utilizado no ataque ficou em pedaços, e mais sete veículos foram destruídos.

Boko  Haram foi o “apelido” dado para o grupo extremista chamado Jama’atu Ahlis Sunna Lidda’awati Wal-Jihad (Pessoas comprometidas com a propagação dos ensinamentos do profeta e com a Jihad) busca impor uma versão muito rígida da shari (lei islâmica) na Nigéria. O home Boko Haram pode ter a tradução livre de “ensinos ocidentais são proibidos”.

COCIN é uma das maiores denominações cristãs evangélicas na Nigéria. Ela se estabeleceu no país em 1904, liderada por uma organização missionária do Sudão.

 

Fonte: Compass Direct / Portas Abertas

http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/02/1419994/

Tradução: Portas Abertas

 

Ore pelo Comores

 

 

 

Ore pelo 24º país da Classificação de países por perseguição, o Comores. Lembre-se dos cristãos que ali vivem e dos pedidos eles fazem para que possam ser cobertos em oração.

 

 

 

  Líder: Presidente Ikililou Dhoinine

População: 754 mil habitantes, sendo 6,4 mil cristãos.

Principal Religião: Islamismo

Governo: República

A perseguição que acontece nesse conjunto ilhas africanas vem principalmente de nativos do país que pertencem a comunidades muçulmanas nativas do país, embora o governo também continue apertando os cristãos.

Um referendo aprovado em 2009 considerava o Islamismo como a religião oficial do Estado e, assim, a liberdade religiosa seria restringida. Somente expatriados tem autorização para organizarem reuniões e cultos cristãos.

Cristãos que são ex-muçulmanos podem ser processados, sendo assim, muitos cristãos precisam se reunir em locais subterrâneos. No entanto, a igreja tem relatado grandes crescimentos em tamanho e em força.

Ore:

• A influência de muçulmanos radicais do Irão, que tem relações estreitas com o Comores, faz com que os muçulmanos do país sejam mais vigilantes quanto às atividades cristãs. Ore para que essa influência enfraqueça com o passar do tempo.

• Para que os poucos cristãos que vivem no país possam ter força e coragem para continuar se reunindo em segredo.

 

Fonte: Portas Abertas

http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/02/1416682/

Caso de pastor condenado à morte ganha repercussão nacional

 

 

Na edição de ontem (23) do Jornal Nacional uma matéria de Luís Fernando Silva Pinto apresenta a eminente execução do pastor Yousef Nadarkhani noticiado pela Portas Abertas desde setembro de 2011.

 

 

 

  Foi uma surpresa ver uma matéria sobre o caso do pastor iraniano em um canal de grande porte da TV aberta.

Que o Senhor use esta matéria para motivar muitos irmãos no Brasil a interceder pelo pastor Yousef e sua família.

Assista a matéria na íntegra:

http://g1.globo.com/jornal-nacional/videos/t/edicoes/v/homem-que-se-converteu-ao-cristianismo-e-condenado-a-morte-no-ira/1826948/

Entenda o caso:

O tribunal da província de Gilan determinou que o pastor Nadarkhani devia negar sua fé em Jesus Cristo, pois ele vem de uma família de ascendência islâmica. O Supremo Tribunal do Irã disse anteriormente que não deveriam determinar se o pastor Yousef tinha sido muçulmano ou não em sua conversão.

No entanto, os juízes exigiram que ele se retratasse de sua fé em Cristo antes mesmo de terem provas contra ele. Os juízes afirmaram que,  embora o julgamento vá contra as atuais leis iranianas e internacionais, eles precisam manter a decisão do Tribunal Supremo em Qom.

Quando pediram a ele para que se “arrependesse” diante dos juízes, Yousef disse: “Arrependimento significar voltar. Eu devo voltar para o quê? Para a blasfêmia que vivia antes de conhecer a Cristo?” Os juízes responderam: “você deve voltar para a religião dos seus antepassados, deve voltar ao Islã”. Yousef ouviu e respondeu: “Eu não posso fazer isso.”

Segundo o Centro Americano de Lei e Justiça – uma organização que defende a liberdade religiosa nos Estados Unidos e acompanha o caso de Yousef – a sentença foi confirmada pelo governo iraniano e a ordem de execução foi dada.

Jordan Sekulow, diretor do centro, vem divulgando em um programa de rádio a perseguição contra Nadarkhani.

“Não sabemos se ele ainda está vivo nesse momento” diz Sekulow. “A ordem de execução não é divulgada publicamente. A única coisa que pode salvar Nadarkhani”, ele diz “é a pressão internacional, principalmente de países como o Brasil, que tem boas relações diplomáticas com o Irã”.

Você pode agir em favor do pastor Yousef! Ore, divulgue e use sua liberdade!

 

Fonte: G1

Portas Abertas: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/02/1416234/